Vitor Baptista, Tom Filho, Felipe Baptista e Nelson Monteiro triunfam na segunda prova da Etapa 1, em Interlagos

Em tarde inspirada para a equipe Shell V-Power Racing, Vitor e Felipe Baptista venceram com propriedade em suas categorias. Vitor foi o vencedor geral, enquanto Felipe se tornou o mais jovem vencedor da história da Porsche Império Carrera Cup ao levantar o troféu na Carrera 3.8. Já na GT3 Cup 4.0, vitória de Tom Filho, enquanto Nelson Monteiro foi o vencedor da GT3 Cup 3.8. Leia o relato da prova 2 abaixo.

Relato: Prova 2

Marçal Müller sorteou o número 6 após o pódio da primeira prova, colocando Eloi Khouri na pole da segunda. Na 3.8, Enzo Elias sorteou o 8, levando Ramon Alcaraz para a posição de honra.

Vitor Baptista saltou de quarto para a liderança atacando por fora em uma formidável manobra de largada. Ricardo Baptista veio a seguir, com Werner Neugebauer em terceiro, Eloi em quarto e Paludo em quinto. Na 3.8 Alcaraz sustentou a liderança inicialmente, mas Felipe Baptista (que a exemplo do irmão mais velho também havia largado em quarto) foi quem cruzou a linha de chegada em primeiro na volta inaugural. Matheus Iorio era segundo.

Werner atacou Ricardo Baptista na freada do S do Senna na abertura da quarta volta. Na segunda perna porém, os carros se tocaram. Eloi embutiu na traseira de Baptista, mas Paludo foi quem leu melhor a situação, passando Werner e Eloi na manobra.

Já na 3.8, Felipe Baptista e Matheus Iorio vinham duelando pela liderança, com alguma vantagem já sobre Enzo Elias.

Passados dez minutos de prova, Vitor tinha aberto uma reta do segundo colocado Ricardo Baptista. Mas entre ele, Paludo, Eloi e Marçal não havia diferença.

Até que o safety-car precisou ser acionado na sétima volta, para desobstruir a área de escape no fim da reta, onde houve um acidente com quatro carros -e outros rodando para evitar contato.

Naquela altura da prova, Iorio aparecia à frente de Felipe Baptista e num respeitável oitavo lugar no geral com o carro da 3.8. Enzo Elias era terceiro na classe, à frente de Fran Lara e Nelson Monteiro.

Os líderes na divisão GT3 eram Tom Filho, em sétimo no geral com o carro da 4.0, e Fran Lara, em 12º no geral e quarto entre os carros da geração “991-1”.

A 10 minutos da volta final Vitor Baptista foi esperto na relargada e deixou para Ricardo Baptista a tarefa de se defender do assédio de Paludo e de Eloi. Na 3.8 Iorio sustentou a ponta, favorecido também por uma escapada de Felipe Baptista, que retornou à pista na curva do Sol sem perder a segunda posição.

Na 11ª volta, Eloi surpreendeu Paludo por dentro no bico de pato e assumiu a terceira posição. Em incidente entre carros de motorização diferente, o líder da 3.8 Matheus Iorio sofreu contato do 4.0 de Sylvio de Barros. Felipe Baptista agradeceu, assumindo a liderança.

E novamente o safety-car foi acionado para resgate de dois carros rodados na segunda perna do S do Senna.

A corrida relargou para a última volta. Vitor de novo saltou bem na frente para ganhar a prova. Ricardo Baptista perdeu posições para Eloi e Paludo e cruzou em quarto, à frente de Marçal. Em sétimo, Tom Filho ganhou na divisão GT3.

Na 3.8 Felipe também levou até o final em primeiro, para festa da família e da Shell Racing. Aos 15 anos de idade, é o piloto mais jovem a ganhar corrida com os carros de corrida mais produzidos no planeta. Enzo Elias cruzou em segundo lugar. Nelson Monteiro foi terceiro e venceu na GT3, Paulo Totaro foi quarto e Ayman Darwich quinto. Destaque para Totaro e Darwich: ambos avançaram nada menos que 21 posições em relação ao ponto em que largaram na prova.

PARCEIROS