Marçal Müller, Maurizio Billi, Enzo Elias e Chico Horta são os poles de cada classe em Interlagos; leia o relato do quali

Os qualis

4.0

Diante a previsão de chuva, a organização antecipou a abertura dos boxes em 10 minutos. Mas, passados três minutos de quali já eram visíveis gotas nos vidros dos carros. Miguel Paludo tratou de cravar 1min37s685. Logo Marçal Müller baixou três décimos, e Vitor Baptista assumiu o terceiro lugar, com 1min37s703.

Passados cinco minutos de treino. Paludo voltou a liderar, seguido por Marçal e pelo campeão Werner Neugebauer. Vitor Baptista então deu o troco, cravando 1min36s306.

Pela metade do Q1, a disputa pelo décimo lugar e último posto a avançar para o Q2, Maurizio Billi e Rouman Ziemkiewicz vinham separados por um décimo.

A seis minutos do final, Vitor Baptista baixou mais três décimos (e baixou o tempo da pole de 2018), Paludo era o segundo, Marçal o terceiro e Marcel Coletta aparecia em quarto.

Os ponteiros então recolheram para box, mas a briga pelo top10 seguia muito acirrada. Billi seguia em décimo, mas Tom Filho aparecia apenas 50 milésimos atrás. Carlos Renaux ainda superou o tempo de Tom, mas foi obrigado a se contentar com o 11º lugar com a chuva apertando em Interlagos.

Avançaram para o Q2: Vitor, Paludo, Marçal, Marcel, Werner, Pedro Aguiar, Eloi Khouri, Sylvio de Barros (liderando a classe GT3), Ricardo Baptista e Billi.

Exceto por Coletta (que foi duas vezes ganhador de bolsa no Porsche Junior Program em 2018), todos os outros nove já têm algum título na Porsche Cup Império.

Q2

Para a disputa da pole, os carros foram todos equipados com pneus de chuva da Michelin. Era a primeira vez que os carros de corrida mais produzidos no planeta aceleravam em condição de chuva nos treinos da etapa de abertura da temporada.

Depois de cinco minutos de treino, Marçal registrou 1min46s655 para liderar, seguido de Vitor, Werner, Paludo e Marcel.

Os dez carros seguiram na pista até a bandeirada, mas os tempos estabelecidos no início do Q2 se mostraram definitivos, selando a pole de Marçal Müller. Em oitavo no geral, Maurizio Billi ficou com a pole na GT3 Cup.

 

3.8

A pista molhada foi um ingrediente extra para desafiar os competidores, na classe com 11 estreantes entre os 21 carros do grid.

O primeiro a registrar uma volta competitiva com Enzo Elias, com 1min50s003, mais de um segundo à frente de Felipe Baptista. A seguir completavam o top5 depois de cinco minutos de treino: Chico Horta, Paulo Totaro e Matheus Coletta.

Na metade da sessão, Matheus Iorio era segundo, atrás de Enzo. Murilo Coletta vinha logo a seguir, com Chico Horta e Felipe Baptista completando o top5. A décima posição era de Alessandro Marchini.

Os cinco mais velozes recolheram para box e, a três minutos da bandeirada, a disputa se acirrou pelo décimo lugar. Paulo Totaro tinha a posição, com 1min52s780. O egípcio Ayman Darwich vinha logo a seguir e parecia ter velocidade para desbancar a marca. Mas quem surpreendeu foi o estreante Cesar Urnhani, com 1min52s655.

Avançaram para o Q2: Enzo, Iorio, Murilo, Horta (liderando na GT3 Cup), Felipe Baptista, Ramon Alcaraz, Matheus Coletta, Urubatan Junior, Marco Billi e Urnhani.

Q2

Depois de todos os pilotos registrarem suas primeiras tentativas de voltas lançadas, Enzo Elias aparecia na frente novamente, tendo sido o único a andar abaixo da marca de 1min51s. Murilo Coletta vinha logo atrás, com Iorio, Baptista e Matheus Coletta completando o top5. Em sexto, Chico Horta era o primeiro entre os inscritos na classe GT3 Cup.

Na parte final do treino todos tentaram melhorar suas voltas, mas o grid acabou mesmo definido com as voltas estabelecidas no início do Q2: pole para Enzo Elias na Carrera Cup e para Chico Horta na GT3 Cup

 

 

O que eles disseram:

Estou muito feliz em começar o ano dessa forma. Ano passado me faltou sorte em alguns momentos do campeonato, então estou muito contente com o início desta temporada. Trabalhei forte desde a última corrida do ano passado, já que automobilismo exige muito preparo físico e mental. Então fico satisfeito em começar a temporada na pole.

Marçal Müller

 

Na primeira parte do treino, na pista seca, não fui tão bem. Mas tive sorte, porque mesmo assim classifiquei em décimo que era o que precisava para avançar para a parte final da classificação. E aí, já na pista molhada, avancei mais duas posições e fiz a pole na minha categoria. Estou bastante satisfeito

Maurizio Billi

 

Tivemos uma breve experiência na F1 com o piso um pouco molhado, mas na prática hoje foi minha primeira vez com essa condição correndo de Porsche em Interlagos. O quali foi dividido em duas etapas, com o mesmo pneu. Então tivemos que administrar e trabalhar na leitura da pista durante as duas sessões. No Q2 não tive rádio e só soube da pole chegando ao box. Foi com o coração essa pole. Estou muito contente

Enzo Elias

 

As caveirinhas do meu carro não têm medo da chuva não! Acho que a pré-temporada fez a diferença, porque treinei na chuva naquele dia e hoje estava mais confortável para acelerar quando vi que o quali seria em piso molhado

Chico Horta

PARCEIROS